Posts Marcados Aborto

Aborto clandestino

Esta semana tivemos mais um caso de aborto no Brasil. Mais uma mulher perdendo a vida para realizar um procedimento arriscado e caro.

Elizângela Barbosa, de 32 anos, foi encontrada numa estrada de Niterói. Ela já era mãe de três filhos e resolveu realizar o aborto por reconhecer que não teria condições de criar mais uma criança e também por não estar conseguindo emprego, devido à gestação.

 

Elizângela Barbosa

Elizângela Barbosa

Outro caso recente é a de Jandira Magdalena dos Santos Cruz, 27 anos, que estava desaparecida desde 26 de agosto. Foi encontrado um corpo carbonizado em Guaratiba e o exame de DNA confirmou que este era o da jovem.

Jandira

Jandira Magdalena dos Santos Cruz

Aos que só veem o lado de que a mulher poderia ter se prevenido, eu peço que repensem! Camisinhas podem estourar; anticoncepcionais podem falhar; Estes que são os métodos mais simples de prevenção, podem não prevenir e acontecer uma gravidez inesperada. E os homens? Só relaxam e curtem? NÃO. A culpa pela gravidez é dos DOIS!

Eu não entendo porque num país onde a pílula do dia seguinte é permitida, o aborto legal não é permitido. O SUS gasta verdadeiras fortunas anualmente ao fazer procedimentos pós-abortivos. Isso para as que conseguem chegar vivas até os hospitais. 850 mil mulheres realizam aborto no Brasil por ano.

Quantas mulheres mais precisarão morrer para que o País tome alguma providência? Está mais que na hora de reconhecer o aborto como um problema de saúde pública e dar apoio às mulheres. Pode ter certeza que quem “engravida porque quer”, não faz aborto clandestino!

Anúncios

, , , ,

4 Comentários

Fé X Razão: Aborto Legal

Segundo o Dicionário Aurélio, Fé é “Crença religiosa em valores espirituais.” e Razão é “Faculdade de raciocinar, de compreender, de estabelecer relações lógicas; raciocínio”. Diante disso, partimos do princípio que toda pessoa tem direito de ter sua fé bem como a sua razão, mesmo que algumas vezes ou em determinadas situações, a fé não caminhe com a razão e vice-versa.

Um assunto muito polêmico é a questão do aborto. De acordo com a nossa legislação atual, é permitido o aborto em dois casos: estupro e risco de morte da mãe. Neste post vou tratar unicamente da Legislação, como é e como realmente acontece.

Nos casos de estupro, a legislação prevê uma série de procedimentos que muitas vezes as vítimas acabam não seguindo, e perdem o tal “direito” de abortar. Se a mulher tem dinheiro, as coisas ficam mais fáceis, mas se não tem, e dependem do nosso querido SUS (Sistema Único de Saúde) a situação complica. São tantos prazos e procedimentos que a vítima do estupro acaba procurando um meio clandestino para conseguir abortar logo.

Acredito que a maioria das pessoas quando houve a palavra ABORTO diz ser contra. Ok, todos temos este direito. Apesar do Brasil ser um país Laico, a maioria das religiões são contra o aborto. A minha religião, inclusive, também é contra o aborto. Porém, existem alguns casos em que a razão fala mais alto. Eu não consigo admitir, por exemplo, que uma vítima de estupro tenha que ter aquele ser que foi formado num ato de violência. Não entendendo porque penso em como esta mulher vai sofrer psicologicamente. Além de ter que aguardar 9 meses pela formação, após o nascimento, esta criança vai tomar forma e com certeza ela terá traços do estuprador. É sofrimento pelo ato do abuso sexual, sofrimento em olhar sua barriga crescer e saber que você não terá apoio paterno para isso e sofrimento em lembrar a todo instante do que aconteceu.

É fácil dizer que é contra o aborto por conta das questões religiosas quando essa situação não está no seu meio familiar. Mas imaginem se fossem suas esposas, mães, filhas, sobrinhas, primas, etc. chegando em casa desesperadas porque foram violentadas e depois de algum tempo descobrir que estão grávidas. Eu não consigo imaginar o tamanho da tristeza, sinceramente.

Está na hora da sociedade abrir os olhos e ver através do seu próprio umbigo. Nós temos um problema social que mata muitas mulheres que se arriscam procurando clínicas de aborto clandestinas. Elas chegam a morrer por falta de apoio. Tem uma matéria do Dr. Drauzio Varella que retrata bem tudo isso. Vale à pena ler!

Antes de qualquer direito da mulher eu desejo este sim, a DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO. Independente de religião, as vítimas de estupro devem ser respeitadas! PENSE NISSO, ou ao menos nessas situações!

, , , , ,

2 Comentários