Arquivo de janeiro \20\UTC 2015

Aumento dos Impostos.

Um nome: Joaquim Vieira Ferreira Levy, nosso atual Ministro da Fazenda. Economista e ex diretor-superintendente do Bradesco Asset Management. O Bradesco é o maior empregador privado do Brasil e em 2012 foi considerado novamente a marca mais valiosa da América Latina.

Essa introdução básica explica praticamente tudo o que seria essa nomeação da Dilma e os reflexos disso na economia Brasileira. E digo mais, a economia está caminhando em comum acordo de como estaria se Aécio Neves tivesse ganho as Eleições. Esse era o discurso dele, não da Dilma. “Estranho”, não? Política e suas “manobras”. Teatro – a gente vê por aqui!

Nesta semana, o que está ganhando destaque na mídia é o aumento do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre o crédito (passará de 1,5% para 3%); os Tributos de Importação (Pis e Cofins, de 9,25% para 11,75%); e de Combustíveis (a volta da Cide, uma contribuição que corresponde ao aumento de R$ 0,22 para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel).

Diante do modelo de Governo atual, não éra de se esperar outra coisa. Tanto Dilma quanto Aécio não pensam em fazer uma Reforma Tributária nesse país. Para isso teria que mexer nos “grandes”; bater de frente! Fazer com que eles pagassem mais impostos. Porém, como dois partidos de raízes fortes e que são dominados pela classe alta fariam isso? Causariam uma revolução e seriam taxados de loucos. Na realidade, JAMAIS nomeariam um candidato a Presidência com esse perfil no Partido deles. E é por isso que o “negócio” não flui.

Não adianta obrigar as empresas a incluirem no rodapé do cupom fiscal a porcentagem de impostos daquela compra; isso só faz o consumidor se sentir ainda mais revoltado e humilhado. Quando se fala em igualdade a maioria da população Brasileira torce o nariz, mas já pensaram se os impostos sob os produtos e serviços adquiridos fossem de acordo com o limite da sua renda? Não seria de fato justo?

Eu sei que isso não está nos planos deste Governo e sei que levariam muitos anos ainda de amadurecimento dessa idéia. A economia de um país não muda da noite para o dia. São necessários estudos específicos para cada área e situação. O que esperar de um Ministro da Fazenda que era um dos “grandões” do Bradesco? Aí me vem à cabeça aquele axé insuportável, mas que faz todo sentido no momento: “E o motivo todo mundo já conhece… É que o de cima sobe e o de baixo desce.”.

Trabalho na área tributária a quase 10 anos; Sou Bacharel em Ciências Contábeis e estou na metade do curso de MBA em Gestão Tributária, tendo aulas com Mestres de São Paulo que trabalham nos mais diversos segmentos, nacionais e do exterior.

A conclusão é única: estaremos enfrentando grandes aumentos nos impostos para manter a estabilidade econômica do nosso país. E o pior é que a estimativa para estabilizar isso e manter um bom relacionamento com o mercado estrangeiro é de longo prazo. Só espero que “eles” não esqueçam que o Brasil não se mantém sozinho e que precisa de outros países para “sobreviver” e se desenvolver.

, , , , , , , , , ,

1 comentário

Enxurradas em Blumenau, até quando?

Esta semana está batendo o recorde. Na quarta-feira (07/01/2015) por volta das 16h iniciou um pé d’água com bastante vento. A chuva deve ter durado em torno de uma hora, mas foi o suficiente pra encher as ruas em Blumenau. No bairro Vila Nova (onde trabalho) já fiquei ilhada. Não tinha jeito de sair daqui. Houve inclusive queda de energia elétrica.

Não entendo como essas ruas enchem tão rápido. Ok que o povo joga lixo no chão; que a culpa não é SOMENTE do serviço público, mas em um ano e meio que trabalho neste bairro, isso ocorre (e quem trabalha há mais tempo aqui diz que isso é de longa data).

A Foz é a empresa responsável pelos esgotos (ganhou por licitação, quem “paga” é a prefeitura), mas por que nada é feito? Todos os meios de comunicação da região publicam imagens, a população reclama e ponto. Passou, esqueceu… beleza (sóquenão!). Até a próxima!

Ontem (08/01/2015) aconteceu novamente. Até a rua ao lado do Parque Vila Germânica ficou inundada. Entrou água em um dos pavilhões em que estava ocorrendo a Sommerfest. Perigoso e vergonhoso para o poder público. Alguns terminais rodoviários ficaram alagados. Não estamos falando de horas e horas de chuvas. Estamos falando de uma hora, no máximo duas.

Tantas crianças nas ruas, animais indefesos, pessoas arriscando suas vidas passando nesses pontos de alagamentos. Até quando? Quantas pessoas tem que morrer ou se machucar nesse tipo de situação para que o órgão público tome alguma atitude?

Hoje (09/01/2015) a previsão do tempo é de mais chuva/temporais aqui na região. E tem Sommerfest! É provável que mais uma vez os Blumenauenses tenham prejuízos. Casas alagadas, carros sendo levados pela água, sem contar que a saúde dessas pessoas fica em risco também.

O que adianta ser a cidade com a maior festa alemã das Américas e deixar os turistas nadando quando vêm pra cá?

Espero sinceramente que a Prefeitura de Blumenau tome alguma atitude e verifique esses pontos de alagamentos. Muitas vezes a solução é simples, só falta vontade e “mãos à obra”.

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário